Museu de Imagens do Inconsciente

Manoel Godinho
Manoel Godinho

Por não aceitar as formas de tratamentos psiquiátricos em uso na época, como o eletrochoque, a lobotomia, o coma insulínico, a psiquiatra Nise da Silveira criou em 1946, no Centro Psiquiátrico Nacional, Rio de Janeiro, a Seção de Terapêutica Ocupacional. Dentre as diferentes atividades, pintura e modelagem se destacaram como um meio de acesso ao mundo interno dos pacientes. A produção desses ateliês foi tão abundante que em 1952 nasceu o Museu de Imagens do Inconsciente.

O Museu é um centro vivo de estudo e pesquisa sobre as imagens e tem caráter marcadamente interdisciplinar, o que permite troca constante entre experiência clínica, conhecimentos teóricos de psicologia e psiquiatria, antropologia cultural, história, arte, educação.

O Museu não é uma instituição voltada para o passado: em seus ateliês os frequentadores criam diariamente novos documentos plásticos e compartilham suas experiências no convívio com funcionários, animais, estudantes, pesquisadores e visitantes. Este trabalho possibilitou o surgimento de artistas que logo foram reconhecidos no mundo das artes. Com isso seu acervo não cessa de crescer e se atualizar.

Com um acervo de mais de 350 mil obras, o Museu tem a maior e mais diferenciada coleção do gênero no mundo. As principais obras são tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Guarda também a biblioteca e o arquivo pessoal de sua fundadora, Nise da Silveira e é detentor do Registro Latino-americano do Programa Memória do Mundo da UNESCO.

Nise da Silveira

Nasceu em Maceió e cursou a faculdade de medicina na Bahia. No Rio de Janeiro tornou-se psiquiatra. Presa como comunista, foi afastada do serviço público durante a ditadura Vargas (1936-1944). Com a anistia, funda, em 1946, a Seção de Terapêutica Ocupacional no Centro Psiquiátrico Pedro II. Em 1952, criou o Museu de Imagens do Inconsciente, um centro de estudo e pesquisa e em 1956, a Casa das Palmeiras, primeira clínica brasileira destinada ao tratamento psiquiátrico em regime de externato. Introduziu a Psicologia Junguiana no Brasil. Escreveu vários livros dentre os quais destacam-se Imagens do Inconsciente (1982) e O Mundo das Imagens (1992).Como reconhecimento de sua obra recebeu condecorações, títulos e prêmios em diferentes áreas do conhecimento. Seu trabalho e seus princípios inspiraram a criação de museus, centros culturais e instituições psiquiátricas no Brasil e no exterior.

Sua história de vida inspirou o filme “Nise – O Coração da Loucura”, lançado em 2016.

*Texto retirado do Museu de Imagens do Inconsciente.